5 minutos com Kátia Lôbo: “Não sou candidata, minha missão no PMDB-RJ é dar voz às mulheres”

Presidente estadual do PMDB Mulher, Kátia Lôbo, tem chamado atenção pelas campanhas em prol da ampliação dos direitos da mulher no estado. Neste bate-papo com a Comunicação do partido, ela esclarece que não tem pretensões de se candidatar e que seus objetivos são: a conquista de mais espaço para as mulheres na política e a garantia de direitos, como o acesso a mamografia, por exemplo.

Katia7b1) Como você avalia a participação da mulher na política atualmente?

Ainda precisamos avançar muito neste sentido. As cotas de gênero, com reserva de 30% das vagas de candidaturas partidárias foram um avanço, mas isso não é suficiente. Sabemos que muitos partidos criam candidaturas de mulheres apenas para cumprir cota, mas não dão apoio, não incentivam suas candidatas. Quanto a isso, o PMDB-RJ vem dando o exemplo. Hoje, somos o partido com a maior quantidade de prefeitas e vice-prefeitas mulheres no estado. No município do Rio, a vereadora Rosa Fernandes teve a maior votação entre seus colegas vereadores nas eleições de 2012. Foram mais de 68 mil votos, provando que as mulheres têm força. Mas ainda há muito o que fazer.

2) E qual tem sido sua prioridade à frente do PMDB Mulher no estado?

Nosso objetivo é ajudar a construir uma sociedade melhor para as mulheres, ampliando suas conquistas, especialmente quanto às políticas públicas. Fazemos um meio de campo entre elas e o poder público. Sugerimos projetos e leis, como a Lei 6.060/11, que inclui a vacinação contra o HPV no calendário do SUS, e a Lei 6.873/14, que cria o programa estadual de prevenção e investigação da sífilis congênita, ambas de autoria dos deputados peemedebistas Rafael Picciani e Bernardo Rossi. Também coordenamos e participamos ativamente de campanhas em prol do acesso à mamografia nos municípios do estado, pela ampliação do tratamento e diagnóstico precoce do câncer de mama, entre outras. Muita gente pergunta se sou candidata. Nunca pensei nisso, minha missão maior é dar voz às mulheres e faço isso com muito orgulho pelo meu partido.

3) Qual a importância de um núcleo de partido político abordar questões relacionadas à saúde?

Existe uma carência muito grande de informação sobre questões extremamente importantes. Na área da saúde, especialmente. No ano passado, nossas principais campanhas foram sobre a vacinação contra o HPV, a prevenção ao câncer de mama, no Outubro Rosa, e o câncer de próstata, no Novembro Azul. São três temas que, por terem relação, mesmo que indiretamente, com a sexualidade, encontravam muita resistência por parte de algumas pessoas. Muitas mulheres não fazem mamografia porque têm vergonha. Outros homens, por sua vez, se recusam a fazer o exame de próstata por medo de perder a masculinidade. A vacinação contra o HPV também sofreu resistência por ser feita em crianças, e muitas mães acreditavam que isso poderia estimular um início precoce da vida sexual. São preconceitos e estigmas que nós tivemos que ajudar a quebrar, através da educação e da conscientização. Tratar das questões de saúde pública é tão importante quanto debater as políticas de gênero, porque é algo que afeta as mulheres diariamente.

0I6A97114) Que outras campanhas serão realizadas pelo PMDB Mulher este ano?

Este ano, criamos a Coordenadoria Especial de Pessoas com Deficiência, e vamos focar na acessibilidade. Estamos buscando parcerias com instituições especializadas na capacitação e inclusão destas pessoas na sociedade. Também vamos sugerir propostas de inclusão aos deputados e vereadores do nosso partido. Outra linha de ação será ligada ao esporte como forma de inclusão social, pretendemos levar sugestões a todos os municípios. Além disso, criamos as coordenadorias de Gênero e Raça, Jovem Mulher, Educação e Cultura, e Sindical, para expandir ainda mais nossas ações relacionadas a estes temas.

5) Este é um ano eleitoral, como o núcleo irá trabalhar para ampliar a participação das mulheres nos cargos públicos?

Vamos para a rua apresentar nossas candidatas e suas propostas. Além disso, temos uma programação de cursos em parceria com a FUG-RJ que vão ajudar nossas candidatas a se preparar para as eleições deste ano, tirar dúvidas sobre o que pode e o que não pode fazer no período eleitoral. Hoje temos 10 prefeitas, 3 vice-prefeitas, e 13 vereadoras mulheres do PMDB no estado do Rio. Nossa meta é ampliar essa bancada, dobrando a participação feminina nas prefeituras e câmaras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *